fbpx

Cultura de Paz: melhores relações dentro e fora da escola

Por Ana Júlia Bernardo, Cristiane de Freire de Sá e Francina Buonanotte, da Turma 5 (São Paulo).

Um grupo de 20 profissionais da Educação de Mogi das Cruzes (SP), entre 28 e 60 anos, foi o público-alvo deste trabalho que procurou investigar como a Pedagogia da Cooperação pode fortalecer a Cultura de Paz nas escolas. Aplicado na Escola Estadual Aristóteles de Andrade, em, promoveu espaços de diálogo e escuta e de reflexão e cooperação, como possibilidades para o enfrentamento das incertezas e conflitos próprios do ambiente escolar.

Para Ana Júlia Bernardo, Cristiane de Freire de Sá e Francina Buonanotte, na pós-graduadas em Pedagogia de Cooperação e Metodologias Colaborativas (Turma 5 – São Paulo), ficou evidente a contribuição de metodologias como os Jogos Cooperativos para além das dimensões da convivência humana, resultando na alteração de padrões de consciência do grupo e criando condições para a promoção da Cultura de Paz.

Durante o processo, conflitos emergiram, proporcionando o aprendizado na prática e abrindo espaço para o acolhimento de incômodos, assim como novas formas de lidar com eles.

De acordo com as focalizadoras, “pelo que concluímos, os participantes conseguiram se entregar nas vivências, embora tenham apresentado certa resistência [inicialmente], revelando com isso a potencial contribuição dos Jogos Cooperativos. É somente nessa perspectiva de mudança das emoções competitivas para as cooperativas que compreendemos ser possível mudar da Cultura de Guerra para a Cultura de Paz”.

Confira o TCC no link abaixo:

14_T5SP 2018 – A Pedagogia da Cooperação no fortalecimento da Cultura de Paz nas Escolas_ Descobertas a partir da experiência na escola Aristóteles de Andrade (1)