fbpx

Jogos Cooperativos

Jogar para superar desafios e não outras pessoas, a partir de objetivos comuns e com a participação de todos.

Os Jogos Cooperativos surgiram da necessidade de reverter as características de competitividade presentes nos jogos convencionais.

São divertidos e inovadores! Proporcionam sensações de bem-estar, alegria e motivação.

Nos Jogos Cooperativos, ao contrário dos Jogos Competitivos, todos ganham ou todos perdem. Juntos!

Os Jogos Cooperativos são fundamentais para quem busca trabalhar em equipe. Levam os participantes a lidar com a diversidade, de forma saudável e inclusiva. E mostram como é possível “jogar e viver” uns COM os outros, ao invés de uns CONTRA os outros.

A Pós-graduação em Jogos Cooperativos promove o encontro de profissionais de diferentes organizações – escolas, empresas, governos, comunidades e ONGs -, interessados em desenvolver competências para atuar nesses ambientes, promovendo a Cooperação.

Saiba mais

6 motivos para fazer a Pós-Graduação:

Aprofundar a compreensão da dinâmica da Cooperação e da Competição como processos de interação social e fenômenos culturais.

Conhecer, pesquisar, criar e aplicar os Jogos Cooperativos, promovendo ambientes colaborativos e fortalecendo o sentido de Comum-Unidade.

Ter uma visão de mundo transdisciplinar, sistêmica e complexa, inspirando pontes entre as fronteiras do conhecimento e a experiência.

Restaurar a dimensão do humano nas relações sociais e profissionais, contribuindo para desenvolver um mundo possível para todos, sem exceção.

Conhecer e vivenciar uma Metodologia que favorece o despertar do que é mais genuíno nas pessoas, grupos, comunidades e organizações.

Aprender a inspirar e desenvolver o “melhor” em cada um, ao invés do “ser melhor” que todo mundo.

Saiba mais

O Universo dos Jogos Cooperativos

A crescente difusão dos Jogos Cooperativos no Brasil e no mundo está despertando o interesse de profissionais das mais diversas áreas, em busca de promover atitudes colaborativas nos ambientes onde atuam.

Inscreva-se na pós-graduação, se você quer:

  • Conhecer mais sobre jogos e o potencial que oferecem para reunir pessoas em busca de um mesmo objetivo;
  • Ampliar o repertório de jogos e atividades que utilizam a Cooperação como guia, possibilitando o alcance de resultados transformadores no trabalho em equipe;
  • Conhecer materiais e equipamentos diferenciados para desenvolver jogos que despertem competências pessoais coletivas e o conviver em comunidade;
  • Promover a Cooperação por meio de atividades vivenciais, seja dentro da sua empresa, escola, comunidade ou grupo; atuando de forma efetiva para a quebra do “Paradigma da Competição”, do individualismo e da exclusão;
  • Saber mais e aprimorar seus conhecimentos sobre Colaboração, Cooperação, Equipes e Transformação de Conflitos.

O curso oferece Certificado de Pós-graduação Lato Sensu (nível de Especialização).

VenSer plenamente quem É para poder SerVir mais completamente ao bem comum.

Saiba mais

Programa

A Pós-Graduação é um convite para mergulhar no Universo dos Jogos Cooperativos. Apresenta sua aplicação nos mais diversos ambientes e oferece possibilidades de reflexão sobre o seu potencial de transformação.

Estimular a descoberta pessoal e a convivência grupal. Ampliar o campo de vivências para ajudar o grupo a perceber aspectos cooperativos nas relações interpessoais e no convívio social. Promover a reflexão crítica e criativa sobre as dinâmicas existentes nos mais diversos ambientes, nos quais o exercício de convivência é a base primordial para a evolução da vida humana. Iniciar a integração da Turma da pós-graduação, despertando a consciência de Comum-Unidade.

Ética da Co-Existência

A aceleração na produção de conhecimento, os avanços incessantes da ciência e da tecnologia, a globalização da economia e a geração de produtos abriram um abismo entre a teoria e as possibilidades da prática. Também aumentaram as distâncias entre os produtores de conhecimento e os consumidores do mesmo, empobrecendo significativamente o acesso de grande parte da população mundial aos benefícios conquistados com recursos naturais e/ou culturais da humanidade como um todo. Isto provoca uma ruptura entre o possível e o desejável, pois para alguns (20% da população mundial) o desejável não tem limites, enquanto para a grande maioria (80%) o possível ficou fora de alcance.

A ética como exercício do convívio, que dá garantias tanto de sobrevivência quanto de transcendência, se torna hoje uma necessidade premente a fim de articular, de modo justo, liberdades e responsabilidades. Os relacionamentos interpessoais e entre grupos e nações acontecem e se sustentam mediados por um pacto ético de reciprocidade. Este pacto requer confirmação constante, renovação e empenho para permitir o pleno desenvolvimento das capacidades e potencialidades dos indivíduos que o compõem. Desse processo contínuo surge a confiança mútua, os afetos e a compreensão da origem e destino comuns de todos nós.

Apresentação dos principais fundamentos filosóficos e antropológicos da Cooperação, palavra que pode ter muitos significados. Assim, a clareza epistemológica é fundamental, pois permite avaliar nossos juízo e pré-juízo em relação a ela. Compreender seu papel na história dos seres vivos e compará-la com as conotações adquiridas na história do ser humano, ajuda-nos a aprofundar a práxis individual e coletiva na direção de um mundo mais solidário.

Descobrindo o Viver em Comum-Unidade

Considerando a Co-Existência como uma condição para a vida; a Com-Vivência como um fato cotidiano; e a Cooperação como uma prática diária, podemos imaginar a Comum-Unidade como o ambiente onde é possível cultivar o espírito de grupo. Ou, como disse Malidoma Some, desenvolver o “Instinto de Comunidade”. Grande parte dos estudos, pesquisas e trabalhos realizados no mundo atualmente – Inteligência Coletiva, Capital Social, Sociedade em Rede, Organizações Colaborativas, Sustentabilidade, Consumo Colaborativo, entre outros – tem como foco a redescoberta do espírito de comunidade: na escola, no trabalho, na rua, em casa… E de cada um consigo mesmo, pois, de acordo com Margaret Wheatley, “estamos usando o instinto de comunidade para nos isolar e proteger uns dos outros, em vez de criarmos uma cultura global de comunidades diversas e entrelaçadas”. Para ela, isso ocorre porque: indivíduos e comunidades surgem de duas forças aparentemente conflitantes – a necessidade absoluta de liberdade individual e a inequívoca necessidade de relacionamentos.

Jogos Cooperativos na Educação Física Escolar

Vivemos um momento particularmente especial em relação às questões da Educação. Textos recentes não hesitam em reconhecer as importantes contribuições da escola para a promoção de mudanças essenciais e necessárias em nossa sociedade como um todo. São contribuições desafiadoras e emergentes, como promover uma escola verdadeiramente inclusiva, solidária, participativa e cidadã, bem como comprometida com a promoção de valores humanos. Todo este movimento requer, ainda, uma escola atenta aos desafios atuais desse ambiente, buscando repensar práticas e, assim, alcançar suas reais possibilidades.

Paralelamente a este movimento, a Educação Física também está revendo sua prática. Após reconhecer ter se distanciado – por conta da influência de outras instituições, como a médica, a militar e a desportiva -, de seus reais objetivos, ou seja, uma prática humanista, democrática e inclusiva, a disciplina busca hoje uma ação comprometida com o ser humano e atenta às múltiplas possiblidades e aos múltiplos aspectos envolvidos nessa ação, tais como: o cognitivo, o corporal, o afetivo, o ético, o social, etc.

Neste sentido, os Jogos Cooperativos oferecem muitas possibilidades, não só para a Educação Física, mas para a Educação como um todo, principalmente porque “jogar cooperativamente” é um convite para viver valores essenciais, como respeito, solidariedade, confiança, participação e Cooperação. Os Jogos Cooperativos, quando articulam um projeto pedagógico, são capazes de envolver estudantes, professores, funcionários, pais e comunidade, na busca de uma escola que atenda às reais necessidades de uma sociedade em transformação.

Danças Circulares

A partir das Danças Circulares, é possível trazer a prática da Cooperação para o viver e o trabalhar em grupo, bem como oferecer a possibilidade de cada indivíduo se reconhecer como parte integrante do todo. Na roda e de mãos dadas, é possível dançar ao som de músicas antigas e contemporâneas, resgatando a ancestralidade da cultura dos povos e atualizando nossa relação com ela. As Danças Circulares nos preparam, como seres humanos, para uma nova etapa evolutiva da humanidade, em que a harmonia e a paz serão reflexos de atitudes de Cooperação e comunhão, expressas em nossas relações cotidianas.

Jogos Cooperativos na Pedagogia do Esporte

Um convite para dialogar a respeito do esporte coletivo, no contexto da Pedagogia do Esporte, sinalizando para uma Metodologia de Ensino que tenha no jogo possível um recurso pedagógico para o ensino, vivência e aprendizagem esportiva. Nessa perspectiva, este Módulo aborda também alguns aspectos técnicos e socioeducativos. Discute, ainda, a competição e os jogos coletivos como uma prática esportiva atenta à formação do estudante.

Jogos Cooperativos na Recreação e no Lazer Comunitário

O lazer, enquanto atividade livre de escolha e exercida no tempo livre, pode proporcionar às pessoas bem-estar, diversão, educação e melhoria da qualidade de vida. Tal prática pode, ainda, fortalecer de diferentes formas modelos de educação acríticos e pouco criativos, bem como a competição excessiva e a exclusão. Esse modelo de prática de lazer, reproduzido há muito tempo, em competições esportivas, gincanas, campeonatos escolares, etc., traz consigo um pacote de valores nem sempre condizentes com as necessidades reais de cada um viver em harmonia consigo mesmo, com os outros e o meio em que vive.

Nesse contexto, os Jogos Cooperativos permitem vivenciar o lúdico de forma mais humana e democrática, oferecendo a possibilidade real de diversão e integração entre as pessoas. Ao mesmo tempo, oferecem a possibilidade de rever o modelo competitivo, muitas vezes adotado como a única forma de relação interpessoal. Os Jogos Cooperativos constituem uma possibilidade privilegiada de intervenção no contexto do Lazer Comunitário, seja pelo fortalecimento do sentido de pertencimento, permeado pela manifestação lúdica do brincar e jogar ou, ainda, na construção de laços de comunhão e convivência.

Aprendizagem Cooperativa e Jogos Cooperativos na Sala de Aula

A Cooperação no dia a dia da sala de aula pode transformar a prática pedagógica, criando um ambiente de mútua ajuda, respeito pelas diferenças e responsabilidade compartilhada. Descontentes com a prática pedagógica tradicional, estudiosos americanos, pesquisaram práticas alternativas e desenvolveram a Aprendizagem Cooperativa. Um dos pioneiros desse modelo foi Spencer Kagan, responsável por uma abordagem estrutural que envolve criação, análise e aplicação sistemática de estruturas que podem ser usadas para quase todas as matérias, nas diferentes séries e em vários momentos de uma aula. Além de apresentar os conceitos criados por ele, o Módulo oferece vivências para aplicação da Aprendizagem Cooperativa em sala de aula e nos demais ambientes de ensino-aprendizagem formal, não-formal e informal. Busca, ainda, relacionar os Jogos Cooperativos e a Aprendizagem Cooperativa como abordagens complementares para a promoção da Cultura de Paz.

Busca ampliar a visão sobre o mundo das corporações e o papel da Liderança Colaborativa em organizações complexas. O conhecimento de novas abordagens permite desenvolver habilidades para lidar com conflitos e tomadas de decisão, tendo o consenso como objetivo. Assim, o Módulo possibilita desenvolver a capacidade de compreensão da dinâmica organizacional e a sua relação com situações cooperativas. Desenvolve a capacidade de perceber a necessidade de se promover jogos cooperativos para o ambiente e a cultura empresariais, bem como a capacidade de compreender os diferentes contextos nos quais o jogo pode ser aplicado no ambiente organizacional. E, principalmente, a habilidade de transformar uma situação Competitiva em Cooperativa e, também, de promover programas de Jogos Cooperativos nas Organizações.

Criação de Jogos e Eventos Cooperativos

Módulo para entrar em contato e desenvolver poderes criativos. O propósito é difundir a alegria, a compreensão, a responsabilidade e a paz que nascem do uso total da imaginação humana. O processo criativo abrange os níveis físico, mental, emocional e espiritual e essa aventura fala de nós, do nosso ser mais profundo, do criador que existe em cada um de nós. E também da originalidade, que não significa o que todos nós sabemos, mas se revela na sensação da própria jornada de “creação”.

Jogos Cooperativos

Vivenciar os Jogos Cooperativos como um processo facilitador da convivência (Viver-Com-Os-Outros) e da Cooperação (Trabalhar-Com-Os-Outros). Partindo da origem no Ocidente e de suas raízes nas sociedades ancestrais, a Turma irá se aventurar pelos Jogos Cooperativos, seus conceitos, características e evolução no mundo e, especialmente, no Brasil. Além disso, entrará em contato com a filosofia e os processos fundamentais da Pedagogia da Cooperação, que fazem dos Jogos Cooperativos uma inquietante, atraente e influente tendência pedagógica da atualidade.

Transformação de Focalizadores

O objetivo deste Módulo é trabalhar o conceito de focalização, as competências necessárias para atuar na focalização e, também, como utilizar a consciência dos quatro planos (físico, emocional, mental, espiritual) para fazer com que a Pedagogia da Cooperação seja um caminho de evolução integral. Levará o grupo a desenvolver a capacidade de mudar seu foco de atuação em situações de liderança e de convivência grupal.

O Jogo Essencial: Jogo da Transformação

No campo dos Jogos Cooperativos – dimensão socializante, interativa e integrativa do conviver humano – o Jogo Essencial busca situar as dimensões fundantes do Ser/InterSer/VenSer, acentuando a vocação, as motivações e os papéis do sujeito, da pessoa, do indivíduo e do self; reconhecendo a presença do “si mesmo” e a estruturação da ecologia existencial, considerando todas as aberturas e rupturas havidas, para a realização do grande e genuíno jogo – o Maha Lila – batizado como a “brincadeira divina” e, mais modernamente, presente em O Jogo da Transformação.

O Jogo da Transformação é um caminho de aprendizagem, amplo e profundo, que oferece a oportunidade de compreender e transformar a maneira como se “joga” o Jogo da própria vida. Mostra que tipo de experiências são criadas, as reações a elas e, ainda, como é possível mudar de atitudes, pensamentos e sentimentos, para expressar os potenciais de criação e realização.

Metodologia de Pesquisa e Projetos de Cooperação I

Momento do curso totalmente dedicado ao estudo e à reflexão sobre as Metodologias Transdisciplinares utilizadas em pesquisas científicas, seus fundamentos e procedimentos. O objetivo é valorizar a pesquisa como elemento de contribuição social e crescimento pessoal.

Metodologia da Pesquisa Transdisciplinar e Orientação de Projetos de Cooperação II

Aprimoramento dos estudos realizados pela Turma, na construção do Trabalho de Conclusão de Curso (TCC), e compartilhamento das histórias contadas e experiências vividas por todos, dentro de um processo de aprendizagem individual e coletiva. Assim, será possível aperfeiçoar a capacidade de realizar um trabalho científico consistente, coerente e articulado com as reais necessidades sociais e pessoais, bem como obter instrumentos para a construção de um Projeto de Cooperação investigativo e aplicado em diferentes contextos.

Seminário de Apresentação dos TCCs

Momento de conclusão e encerramento do Curso de Pós-graduação em Jogos Cooperativos e Cultura de Paz. Por meio da realização de evento cooperativo, pós-graduandos, docentes e a coordenação do curso promoverão um encontro para compartilhar as boas práticas dos Jogos Cooperativos, aplicados em diferentes contextos e situações. Apresentação dos Trabalhos de Conclusão de Curso.

Depoimentos de quem viveu esta experiência

“Muito mais que uma pós, me mostrou um caminho de possibilidades de aplicação de ferramentas que podem resolver os desafios da minha vida pessoal e profissional de uma maneira leve e eficiente. Representou um marco em minha vida e criou um novo discurso dentro do meu ser, pautado em paz, felicidade e cooperação.”

Herbert Santo de Lima, Turma 17, São Vicente

“Abriu-se um leque de boas opções, tanto na vida pessoal como na vida profissional. Foi o melhor investimento que escolhi.”

Raisa Moura, Turma 1, Brasília

“Fazer a pós-graduação foi uma experiência fantástica! Ampliou o meu olhar e foi muito terapêutico para mim. Significou viver plenamente todos os Módulos e, imediatamente, aplicá-los na minha empresa! Os professores são ótimos e toda a amarração é muitíssimo bem-feita! Indico como um caminho pessoal e/ou para quem quer aprimorar suas habilidades na condução de grupos!!! Faça e confira!!! #Superrecomendo.”

Fabio Amaral, Turma 1, Florianópolis

“A pós foi maravilhosa! De todas as escolas do mundo que já passei, sem dúvida é uma das melhores!”

Myrian Castello, Turma 17, São Vicente

“Inicialmente, a pós em Jogos Cooperativos foi uma oportunidade de aperfeiçoar os meus conhecimentos e metodologias dentro do Curso de Educação Física, no qual eu tinha me formado. Chegando lá, porém, percebi que ia muito além das práticas relacionadas à Educação Física, com uma parte teórica profunda, muito ligada ao autoconhecimento, um elemento fundamental para me redescobrir como um ser humano.”

Eduardo Landívar Arsolino, Turma 2, Brasília

Faça Com-Tato

Para saber mais sobre a Pós-graduação, preencha o formulário abaixo. Em breve, entraremos em contato.

    Ou, se preferir, escreva para Eliana Rossetti Fausto, Coordenadora Geral da Pós-graduação:
    E-mail: pos@projetocooperacao.com.br
    WhatsAPP: (11) 9 9963-6862